O que é Ortodontia?

É a área da odontologia que estuda o crescimento e desenvolvimento da face, bem como o desenvolvimento das dentições decídua (de leite), mista e permanente e seus desvios de normalidade, prevenindo, interceptando e corrigindo as más oclusões dentárias.

Por que realizar o tratamento?

A função principal do tratamento ortodôntico é restabelecer a oclusão dentária (perfeito engrenamento dos dentes superiores com os inferiores), que é fundamental para a correta mastigação e, consequentemente, a adequada nutrição e saúde bucal. Com o restabelecimento da oclusão, evitam-se problemas relativos à respiração, deglutição, fala e articulação temporomandibular (ATM). 
Não existe idade máxima para a realização de tratamento ortodôntico, embora no paciente adulto alguns cuidados especiais devam ser tomados, principalmente em relação aos tecidos de suporte dos dentes, que podem chegar a contraindicar o tratamento (problemas periodontais).

Como será feito o tratamento?

O tratamento ortodôntico, no início, causa certa sensibilidade, principalmente na fase de colocação do aparelho. Posteriormente, é possível existir certo desconforto cerca de 24 a 48 horas após os ajustes praticados pelo ortodontista. O paciente deve seguir todas as instruções dadas, principalmente quanto ao aspecto de higiene bucal, pois os detritos podem causar problemas gengivais, periodontais, manchas brancas ou mesmo cáries dentárias. 
Além disso, podem ocorrer pequenas acomodações pós-tratamento, ligadas ao crescimento e às alterações funcionais. Essa tendência é normalmente controlada e minimizada através de um bom planejamento ortodôntico e por profissionais qualificados.

APARELHO FIXO

Esse é o tipo mais comum. Possui bandas, fios e/ou braquetes. Os dentes são puxados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta “Por não permitir a remoção, não dependemos muito da colaboração ou utilização por parte do paciente para obter resultados efetivos. Com esse aparelho conseguimos movimentos precisos dos dentes, porém exige um cuidado maior na sua higienização”, explica o expert em aparelhos. Além disso, o profissional ressalta que os aparelhos fixos atuais estão muito mais anatômicos e confortáveis para a boca.

APARELHO FIXO ESTÉTICO

Possui a mesma função que o aparelho de metal: corrigir dentes tortos e desalinhados. Porém, esse modelo é feito de materiais transparentes, mantendo assim uma melhor estética quando comparado ao metálico. Os braquetes são feitos, em geral, de policarbonato, porcelana ou safira. Além de super discreto, eles não desgastam e proporcionam mais segurança e beleza ao sorriso do paciente. A procura por esse tipo aumenta constantemente. É uma excelente opção para quem quer e precisa corrigir a má formação sem deixar de lado a estética e a aparência.

APARELHO MÓVEL

Muito eficaz para crianças com ou sem dentição definitiva. Em geral, até uns 12 anos de idade é aconselhável esse tipo de aparelho. Explicando de uma forma bem simples, o aparelho móvel tem a função de manter os dentes na posição certa, por isso, ele é indicado após a retirada do aparelho fixo para conter o desalinhamento dos dentes. Mesmo que seja móvel, seu uso deve ser constante. Deixar de usá-lo regularmente pode prejudicar todo o resultado do tratamento. Fique esperto!

APARELHOS ALINHADORES

Mais usado em tratamentos odontológicos estéticos, os alinhadores são quase invisíveis e bastante sofisticados feitos sob medida. São produzidos através de softwares que permitem visualizar os planejamentos e resultados pretendidos. Bem legal, não é? Os alinhadores promovem um tratamento não só higiênico, mas estético, com menos dores e mais eficiência nos resultados.

Essa também é uma boa opção para as pessoas que apresentaram alguma rejeição relacionada ao metal ou, especificamente, ao níquel que existe em aparelhos metálicos, provocando inflamação excessiva na gengiva. ” Essas rejeições pode ser contornadas com o uso desses alinhadores que seria o ideal devido a ausência de partes metálicas”, indicou.