Mas afinal, o que é um implante dentário?

Um implante dentário nada mais é do que um parafuso de titânio que pode ser aparafusado no seu osso e que passa a fazer a função da raiz do dente já extraída ou quebrada. É na ponta desse pino de titânio que colocamos o dente artificial fabricado em laboratório.

Fica tranquilo! A maioria das pessoas pode fazer, basta atender às seguintes condições:

Você não tem um ou mais dentes.

  • Seu osso permite fazer o implante do pino de titânio.

  • Você tem boa saúde bucal.

  • Você tem boa saúde em geral.

  • Você não tem nenhuma doença ou pré-condição que afete a recuperação do osso.

  • Está pronto para encarar um processo de recuperação que pode levar até 6 meses, dependendo do caso.

Mas por que o implante dentário é a melhor opção para repor o dente que eu perdi? Quais são as alternativas?

Antigamente quando algum dente era perdido, a opção usual era a ponte fixa. Na ponte fixa o que o dentista faz é desgastar os dentes anterior e posterior à perda dentária e mandar fabricar no laboratório uma estrutura de metal coberta ou não com cerâmica totalmente unida cobrindo os dentes desgastados e os dentes perdidos.

Isso leva ao desgaste de dentes completamente saudáveis, o que aumenta o risco de futuros problemas e até perdas desses dentes. Além disso a estrutura da ponte fixa dificulta a higiene levando a novas cáries e/ou doenças da gengiva. Em caso de problema em algum desses dentes de suporte todo o trabalho é perdido e uma nova ponte precisa ser refeita.

Em caso de várias perdas dentárias a única opção era usar de próteses móveis, conhecidas como Roach ou Dentadura, pouco funcionais e estéticas e às vezes desconfortáveis. Com o tempo, o implante passou a ter um custo de implantação mais baixo e uma manutenção muito mais barata. Em comparação com uma ponte fixa o custo do implante é de cerca de 2/3 do valor da ponte. Além de que, ao longo da vida a chance de apresentar novos problemas e retrabalho na região é muito menor.

E quem pode fazer um implante dentário?

Vamos lá! Preparei algumas explicações e fotos que vão te ajudar a entender melhor sobre o assunto. Se ficar alguma dúvida, deixa um comentário no fim da página que te respondo logo logo!

Isso leva ao desgaste de dentes completamente saudáveis, o que aumenta o risco de futuros problemas e até perdas desses dentes. Além disso a estrutura da ponte fixa dificulta a higiene levando a novas cáries e/ou doenças da gengiva. Em caso de problema em algum desses dentes de suporte todo o trabalho é perdido e uma nova ponte precisa ser refeita.

Em caso de várias perdas dentárias a única opção era usar de próteses móveis, conhecidas como Roach ou Dentadura, pouco funcionais e estéticas e às vezes desconfortáveis. Com o tempo, o implante passou a ter um custo de implantação mais baixo e uma manutenção muito mais barata. Em comparação com uma ponte fixa o custo do implante é de cerca de 2/3 do valor da ponte. Além de que, ao longo da vida a chance de apresentar novos problemas e retrabalho na região é muito menor.

Quais são os riscos de fazer um implante dentário? Quais as contra-indicações?

Basicamente todos os pacientes podem fazer implantes, desde que estejam saudáveis ou com qualquer problema de saúde controlado. Por exemplo, pacientes diabéticos que utilizam medicação e apresentam os níveis de glicose controlados apresentam a mesma chance de sucesso do que um paciente saudável. O fumo, além de causar diversos males a saúde, diminuí o índice de sucesso dos implantes.

Atualmente alguns medicamentos classificados como drogas anti-resorptivas utilizadas no tratamento de metástase óssea, osteoporose ou osteopenia podem representar uma contra-indicação absoluta para o tratamento com implantes.

Acima de tudo, o dentista que irá cuidar do seu tratamento deve ter a habilidade necessária para fazer essa avaliação de risco e em conjunto com seu médico tomar a melhor decisão para o seu caso.